iPhone 13
A série iPhone 2021 foi lançada oficialmente em setembro, e traz poucas mudanças em relação a seu antecessor direto, o iPhone 12. Mas se a comparação for com uma geração um pouco mais antiga, será que há mais diferenças? Como fica um comparativo entre Apple iPhone 13 e Apple iPhone 11?
O Canaltech compara os celulares da Apple com dois anos de diferença entre si para ver o que mudou de 2019 para 2021. E há uma boa evolução, com nova tecnologia de tela, câmeras mais poderosas, processador mais potente e até o formato do dispositivo, um pouco mais compacto.
Mas antes de você correr para comprar um iPhone ou mesmo trocar seu celular de cerca de dois anos de uso pelo modelo mais recente, é interessante entender bem o que essas novidades representam. Veja a seguir o comparativo Apple iPhone 13 vs Apple iPhone 11 para avaliar, de acordo com as vantagens e desvantagens de cada um, qual vale mais o preço cobrado atualmente.
Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!
As diferenças visuais entre iPhone 13 e iPhone 11 são bastante consideráveis. A pegada mudou bastante nos dois anos que separam estas gerações: enquanto o modelo de 2019 tem laterais curvas, o de 2021 é reto, o que impacta nas dimensões finais do produto, mesmo que o tamanho da tela tenha sido mantido.
Ou seja, o iPhone 11 é cerca de 4 mm mais alto e também 4 mm mais largo, além de ser mais espesso. O modelo mais antigo também é 20 gramas mais pesado que o mais novo. Isso tudo se deve por uma série de fatores, como a tecnologia da tela e o formato das laterais, mesmo.
Isso fica evidente na taxa de ocupação da tela no aparelho. O display do iPhone 11 fica em aproximadamente 79% da parte frontal, enquanto a do iPhone 13 aumenta para 86%. E isso com as mesmas 6,1 polegadas e 90,3 cm² de área nos dois visores. Fica evidente que o modelo mais novo é menor, sem prejudicar o conteúdo a ser exibido.
Também há uma diferença visual na parte frontal. A Apple finalmente reduziu um pouco o espaço ocupado pela “franja” na tela do iPhone 13, depois de quatro gerações sem mexer nesta área do celular. A principal diferença fica para os jogos, pois o notch ocupa menos espaço do display, e liberando a visualização de elementos na lateral.
Mas isso não significa que o problema de notificações tenha sido resolvido. Assim como no iPhone 11 (e todos os modelos com notch desde o iPhone X), o 13 ainda tem os mesmos três marcadores do lado direito (nível de bateria e sinais Wi-Fi e de rede), enquanto o esquerdo segue apenas com o relógio.
Também há uma mudança na parte de trás. Os dois modelos trazem o módulo de câmera que ficou conhecido como ‘cooktop’, pelo seu formato quadrado com lentes circulares grandes. A diferença é que, enquanto o iPhone 11 tem as duas câmeras em uma coluna, o iPhone 13 fica com elas em diagonal, com um ângulo de 45°.
Ambos ainda possuem laterais em alumínio e acabamento em vidro na frente e atrás, mas há uma diferença nas cores de cada modelo. O 11 você pode encontrar em roxo, amarelo, verde, branco, preto e vermelho, enquanto o 13 tem — por ora — uma opção a menos, e as cinco já disponíveis são rosa, azul, meia-noite (preto), estelas (branco/creme) e vermelho.
Talvez a maior mudança do iPhone 11 para seus sucessores seja a tela. O modelo de 2019 foi o último a trazer um display IPS LCD, substituído desde o 12 pela tecnologia OLED, que entrega brilho mais alto e contraste mais marcante. Além disso, a resolução do visor também aumentou, melhorando a nitidez da imagem.
Com relação ao brilho, o aumento é considerável. O iPhone 11 alcança o máximo de 625 nits, que é apenas razoável para usar em ambientes externos, e fica bem difícil de enxergar o conteúdo na rua, quando está sol. Já o iPhone 13 alcança 800 nits e ainda chega a 1200 nits em imagens com suporte ao HDR. Ou seja, há uma boa melhoria no uso em ambientes externos, até mesmo na reprodução de vídeos.
Mas não é só em brilho e contraste que a tela do iPhone 13 é melhor. A resolução também aumentou, o que significa menos distância entre os pixels e, portanto, maior definição da imagem. A densidade aproximada do iPhone 11 é de 326 pixels por polegada (ppp), que já não é ruim. Mas a do modelo mais recente salta para 460 ppp, que é ainda melhor.
De resto, ambos oferecem tecnologia True Tone, que entrega cores próximas às reais, e ampla tonalidade de cores (p3). Também têm vidro resistente a riscos (cerâmico, no caso do iPhone 13) e revestimento oleofóbico, que evitam riscos fáceis no vidro e marcas de dedos, respectivamente.
Dois anos de avanços em desenvolvimento de hardware separam o iPhone 11 do iPhone 13. O chip do segundo é ainda menor e mais veloz que o do primeiro, e de fato podemos ver uma diferença na pontuação em benchmarks que indicam um bom aumento de potência entre as duas gerações.
Para quem usa o celular em tarefas comuns do dia a dia, dificilmente vai notar alguma diferença entre os dois modelos. Mesmo em jogos os dois modelos vão entregar ótima experiência, já que a Apple entrega potência de sobra a cada ano, justamente para garantir um bom desempenho por muitos anos.
Então, o que justificaria optar pelo iPhone 13 em vez do 11, pensando no hardware? Depende quanto tempo você pretende manter o celular em mãos. Se é algo passageiro, por gostar de trocar de aparelho todo ano ou quase todo ano, tanto faz qual dos dois vai escolher neste momento. Mas se você quer ficar três anos ou mais com o mesmo dispositivo, talvez seja mais jogo partir para o mais novo.
Isso vale para quem já tem o iPhone 11 em mãos: não compensa pensar na troca agora apenas pelo desempenho. Mas há outros fatores a levar em consideração, falando em hardware, como o suporte ao 5G.
O iPhone 11 foi a última geração da Apple a não ter suporte à nova tecnologia de redes móveis. No final de 2019, o 5G ainda não estava presente em muitas cidades, e a Maçã optou por segurar por mais um ano o salto para esta novidade. O iPhone 13 é a segunda geração a trazer suporte à banda larga mais veloz.
E isso pode fazer toda a diferença na hora que você pensar em trocar seu iPhone 11 ou pesquisar para comprar um celular novo. Mas antes de decidir pelo 13 somente baseado no desempenho e suporte ao 5G, dê uma olhada em nosso comparativo do iPhone 13 vs iPhone 12 para avaliar se não compensa mais levar a versão de 2020.
A memória RAM é de 4 GB em ambos os modelos, mas há uma diferença na capacidade de armazenamento, que começa em 128 GB e vai até o máximo de 512 GB no iPhone 13. O iPhone 11 começa em 64 GB e vai até 256 GB em sua versão com mais espaço.
Outra questão a se levar em conta antes de optar pelo iPhone 11 em detrimento do 13 é o sistema operacional. É verdade que ambos já rodam a versão mais recente, o iOS 15, lançada junto aos celulares da Apple para 2021. E os recursos são os mesmos, sem diferença em funcionalidades entre os dois modelos.
Mas, por ter saído depois — e começado juntamente com o iOS 15 —, o iPhone 13 deve receber duas atualizações a mais do que o iPhone 11. A Apple tem atualizado seus celulares por até seis anos, o que significa que o lançamento de 2019 ainda tem mais quatro updates a receber, enquanto o mais recente não deve ser esquecido antes de 2027.
Se você pretende trocar de celular antes de 2025, não precisa se preocupar com isso.
A grande novidade do iPhone 13 é o que a Apple chama de “novo sistema de câmera dupla mais avançado até hoje”. As especificações técnicas são bastante parecidas com as do iPhone 11, mas há melhorias consideráveis tanto na abertura da lente principal quanto nos sensores e também no software.
A Apple aumentou o tamanho do sensor principal, além de incluir uma estabilização óptica pelo deslocamento dele. O ganho é de até 47% mais luz a ser capturada na câmera principal em relação ao iPhone 12, que já captava 27% mais luz que o 11. Já a ultra wide tem sensor mais veloz e, com isso, reduz borrões nas imagens com pouca luz.
O Deep Fusion já estava presente na câmera principal do iPhone 11, e foi levado também para a ultra wide da série 12 — e mantido na 13. Assim, as fotos com a super grande-angular também aproveitam da análise computacional para melhorar a nitidez e até mesmo os detalhes em áreas claras e escuras.
O modo noturno está presente apenas na câmera principal do iPhone 11, e já funciona nas três (principal, ultra wide e frontal) do iPhone 13. Em resumo, você tem imagens mais nítidas independente da qualidade da luz ambiente ao tirar as fotos com o modelo mais novo.
Mas a grande novidade das câmeras está na gravação de vídeo, com a chegada do modo cinema.Trata-se, basicamente, de um efeito de profundidade com desfoque entre pessoas no quadro, como a gente vê em filmes.
O iPhone 13 consegue transitar de maneira suave entre o foco numa pessoa em primeiro e segundo plano. Isso é feito de maneira automática, caso quem está em primeiro plano olhar para trás, ou manualmente, se você tocar na tela. Este modo ainda grava em HDR Dolby Vision.
De resto, os dois modelos oferecem as mesmas opções de resolução e taxa de quadros da geração anterior, chegando ao 4K a 60 fps, com várias opções de captação que consome menos espaço, também. O modo cinematográfico só grava em 1080p a 30 quadros por segundo.
iPhone 13 e iPhone 11 têm capacidade de bateria muito parecida, com uma diferença de apenas 130 mAh. E é o modelo mais novo o que tem mais carga, com o total de 3.240 mAh, contra 3.110 mAh da versão de 2019.
Mas há uma melhoria considerável no tempo de uso do modelo mais novo, que pode aguentar até duas horas a mais em reprodução de vídeo, segundo a Apple. Isso, em teoria, é explicado pelas novas tecnologias de tela e de produção do chip A15 Bionic, que é menor.
De fato, nossos testes apontaram que o iPhone 13 pode chegar a até 23 horas em reprodução na Netflix, se você mantiver a tela sempre no brilho médio e sem um chip de rede móvel instalado. O iPhone 11 ficou em 20 horas, nas mesmas condições.
Em uso real, isso significa que ambos conseguem aguentar um dia inteiro sem precisar de uma tomada, desde que você não exija muito do processador com jogos e tarefas pesadas.
O teste em reprodução de vídeo indica um tempo de tela com o hardware em desempenho baixo e comunicação frequente com a rede para baixar informações. Mas dificilmente alguém vai ficar 20 horas com a tela acesa em um só dia, né?
Mesmo assim, eu fico com a previsão de um dia de uso porque há fatores que elevam o consumo. Como a quantidade de aplicativos instalados e recebendo notificações em segundo plano, variação no sinal Wi-Fi ou mesmo da rede móvel e alteração no brilho da tela para se adequar a diferentes ambientes.
O iPhone 13 deve chegar ao final de cada dia com uma sobra maior de bateria do que o iPhone 11, mas ambos devem entregar ao menos o suficiente para passar o expediente todo sem preocupação.
E você sempre pode fazer uma recarga durante o almoço ou mesmo enquanto trabalha (e não vai usar tanto o celular) para garantir que o aparelho não vai desligar antes de chegar em casa.
Nem o iPhone 13 e nem o 11 têm carregador na caixa, apenas um cabo Lightning para USB-C. Mas o modelo mais novo tem tecnologia de carregamento sem fio mais avançada, o MagSafe, que pode entregar até 15 W de potência, contra cerca de 5 W de máximo no Qi wireless do iPhone 11.
Diferente do comparativo iPhone 13 vs iPhone 12, aqui temos dois celulares com bastante diferenças. A Apple continua a segurar as grandes mudanças visuais para além de cada dois anos, mas traz boas novidades a cada duas novas gerações, ao menos em funcionalidades.
Ou seja, se o iPhone 13 é muito parecido com o iPhone 12, o mesmo não se aplica ao modelo de 2019, lançado dois anos antes. Há várias novidades no celular da Apple para 2021, como o 5G, câmeras mais sensíveis à luz, bateria que dura mais e tela com tecnologia mais avançada.
Quem já tem um iPhone 11 até pode pensar em fazer o upgrade para o iPhone 13, pois ganha uma quantidade considerável de vantagens.
Mas ainda dá para manter o aparelho por mais alguns bons anos e esperar para fazer um upgrade ainda maior quando a Apple lançar algum modelo com ainda mais novidades, como o retorno do Touch ID, quem sabe.
Agora, se a sua dúvida é pela compra de um iPhone 11 ou um iPhone 13, precisa pensar na diferença de preço. Pensando apenas nos modelos de 128 GB, para comprar valores com o mesmo espaço de armazenamento, você pode pagar entre R$ 3.900 e R$ 4.600 no celular de 2019, ou cerca de R$ 6.500 pelo de 2021.
É uma quantia considerável para se pagar a mais, e só você pode pesar na balança se tem como fazer este investimento mais pesado para ter mais tecnologia.
O iPhone 11 já está de muito bom tamanho, especialmente se você não faz questão de tela OLED, conectividade 5G e câmera ultra wide melhor projetada para fotos com pouca luz.
Agora, se você faz questão de tudo isso, recomendo dar uma olhada no comparativo iPhone 13 vs iPhone 12. Aí você terá certeza se precisa mesmo do modelo mais novo ou se um dos seus antecessores já atende às suas necessidades.
Gostou dessa matéria?
Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

source

Previous article[Update] Meet S21 FE 5G: Flagship Smartphone Designed for Fans of All Kinds – Samsung US Newsroom – Samsung
Next articleOLED iPads in 2024: Growing evidence, as third Apple supplier prepares production plans – 9to5Mac

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here